Há aproximadamente seis meses você se foi. Mas a dolorosa sensação de entrar em casa e você estar lá esperando sempre alegre insiste em permanecer. Às vezes chego a escutar o barulho de você se coçando da corrente se mexendo o de você tomando água. Você sempre vai ser a nossa Siça, nunca nada nem ninguém vai substituir o seu amor. Você foi e será sempre a única. Até o fato de não precisar levar jornal pra casa pra ser seu banheiro é triste. De manhã você não tá mais lá esperando pra gente levar você pra fora uns minutos… haa quanta falta você faz …

Humilde homenagem…

Hoje, primeiro de julho, acaba o período que chamamos de experiência em um trabalho – são três meses, pra ver se a empresa aprova vocêe principalmente se você se adapta a empresa.  Quando escolhi Publicidade e Propaganda, eu não tinha  certeza de nada, afinal, o que se sabe da vida com dezoito anos de idade. 

No decorrer do curso eu pensava que não era bem aquilo que eu desejava para o meu futuro e, pra provar que as pessoas são “metamorfoses ambulantes”, quando chegou na hora de fazer a Monografia, lembrando que já faz mais que um ano, eu tive certeza: adoro a profissão que eu escolhi, esse um tanto lúdica me deixava fascinada.

Veio a formatura, e a pior fase de tudo isso, oito meses desempregada. Até que então o meu currículo foi encontrado no meio de tantos outros com data de 2006 ainda, nesse momento foi sorte. Fiz um teste, meio com medo ainda, a entrevista e comecei tres dias depois, a partir daí eu passaria por um período de aprendizado, foi o que aconteceu. Um colega bem especial e atencioso que até aquele momento eu conhecia apenas de vista, pois éramos colegas de ônibus, me ensinou tudo que ele tinha aprendido. Eu estava cada dia mais deslumbrada, adorando toda aquela equipe e principalmente o trabalho.

Quando fez aproximadamente quinze que eu estava trabalhando, pronto! Fui inserida no grupo de amigos mais chegados dentre os colegas, daí sim, me senti melhor ainda, que maravilha.

No último sábado, para comemorar essa etapa que se finda, resolvemos na última hora, (c0mo disse a Angela no seu post) que faríamos uma janta para nos reunirmos mais uma vez. Aquela noite foi comemoração mesmo. Como é agradável ter colegas que se possa chamar também de amigos. Algo que eu se quer imaginava que aconteceria, trabalhar na Vang aconteceu e a cada dia eu gosto mais. Espero também que os demais colegas tenham o mesmo sentimento e principalmente que eu consiga realizar plenamente o meu trabalho, deixando claro que todas as críticas e sugestões são bem vindas.

Obrigada, mesmo galera por todo o acolhimento e espero que isso dure ainda muito tempo e que a minha jornada aqui seja cada dia mais promissora.

 

Beijos da Emili (A DOIDA)