isso serve para provar que as redes sociais são ótimas….

http://www.bluebus.com.br/show/2/99379/1_mapa_atualizado_das_comunidades_online_agora_e_por_atividade_social

Anúncios

O Teatro Mágico = amor à primeira vista

Tive meu primeiro contato com esse espetáculo no dia 15 de abril e me apaixonei. Não somente pelas músicas que tem letras magníficas, mas pelo grupo em si. é algo que eu nunca tinha visto antes, nada parecido, realmente foi amor à primeira vista. Não tem nem como explicar, só assistindo mesmo pra saber. e é uma pena que muita gente não conheça, exatamente quem devia conhecer e saber o que eles tem a dizer, o que eles nos fazem pensar a respeito da tv, a respeito de muitas outras mídias que nos deixam alienados e que nos manipulam fazendo-nos pensar como eles desejam…. não vou mais escrever porque vai se tornar muito polêmico… mais aí vai um trechinho de uma música linda, e o link deles pra quem quiser:

Será que a sorte virá num realejo?
Trazendo o pão da manhã
A faca e o queijo
Ou talvez… um beijo teu
Que me empreste a alegria… que me faça juntar
Todo resto do dia… meu café, meu jantar
Meu mundo inteiro…
que é tão fácil de enxergar… E chegar

O Teatro Mágico

Orgulho de ser brasileiro?

Eu nunca manifestei minha opinião política em público, até votei pro Lula. Mas não consigo engolir o que está acontecendo com o nosso país. Um presidente que se isenta de responsabilidades, que não sabe o que está acontecendo. Eu to revoltada, e o pior é que muita gente também tá, só que ninguém faz nada, parece até que aceitam a situação. Ou tão esperando a solução cair do céu?  Cadê os revolucionarios que aderiam as causas humanitárias e sociais? Viraram capitalistas? (claro eu admito que não sou contra o capitalismo, mas a falta de caráter aaahh eu sou sim) Cadê os que sempre lutaram por direitos iguais?

Quem quiser saber mais e expressar o que sente veja matéria no G1,  na qual o Lula ta dizendo que o que ta acontecendo no senado não é problema dele, que ele não votou no Sarney para presidente, e quem tem resolver são os senadores que votaram.  Por favor!

E você, tem orgulho de ser brasileiro? Eu não.

A comunicação…

Falando mais um pouco do mundo da propaganda.

Analisando alguns comerciais, alguns meios e veículos de comunicação e, dando maior atenção a alguns, percebi o quanto isso me fascina cada dia mais. Empiricamente descobri que é fundamental analisar o comportamento e os hábitos do consumidor para entender o que ele prefere, e o que mais precisamente deseja. Atingir esse lado emocional do individuo se torna mais fácil quando descobrimos o que realmente ele quer, seria ótimo, se sempre conseguíssemos “criar” esse desejo que é o que a propaganda pretende.

TV – Sem perceber deixamos que tudo isso faça parte de nossas vidas. Somos atingidos todos os dias por mensagens que nos auxiliam em todo o tipo de escolha, desde a escova de dentes até o carro que dirigimos. (aqui estou falando como consumidor, ainda não dirijo meu carro, mas com certeza sei que o que motiva a escolha por determinado modelo é, sem dúvida a propaganda, entre outros fatores, é claro) e é assim com tudo em nossa vida. Não sei se todas as pessoas já pararam pra pensar nisso, mas até a maneira com que a gente vive, vivencia algo é influencia de algum meio/veículo de comunicação. Muitas vezes não tempos opção de escolha a determinado programa jornalístico ou de entretenimento, somos forçados a aquilo e ponto. Claro que ninguém é obrigado a ver novela se isso não lhe der prazer, mas é o que é mais cômodo e é exatamente o que influencia a nossa forma de agir perante muitas situações. Se é uma influencia negativa ou positiva não cabe a mim julgar, cada um viva como queira desde que não invada a liberdade alheia. Porém, acredito que existem muitas outras formas de entretenimento mais saudáveis e que trazem muito mais conhecimento e repito: na maioria das vezes não se tem escolha, ou é acomodação mesmo! É, é acomodação! Claro, dá pra fazer tanta coisa e vez de ficar em frente a televisão, basta ser criativo, e começar e eu acho que vou começar…

um pouco de conteúdo agora..

Como eu sempre digo, a crise é a oportunidade se criar novos negócios, é quando surgem novas idéias. E para provar que a crise econômica mundial em que nos encontramos não traz apenas pontos negativos a Revista Meio Digital dos meses de Maio e Junho deste ano, publicou matéria a respeito da publicidade digital. Acontece que algumas empresas se reuniram num consórcio para testar novos formatos de vídeo online o que está se tornando cada vez mais popular, porém ainda não superou a TV, claro.  Dentre os anunciantes estão a Yahoo, a Coca-Cola. Estão sendo criados padrões para os formatos do vídeos no qual os anunciantes se comprometem a cumprir.

Sempre considerei a internet uma mídia excelente para anunciantes e agências. Acredito que a interatividade é o que provoca um certo desejo nas pessoas. O vídeo digital além de poder ser visto a qualquer hora (diferente da TV em que o espectador precisa estar exposto para receber a mensagem) pode ser escolhido pelas pessoas, ou seja quando alguém escolhe ver determinado anuncio está ainda mais propenso a adquirir o produto ou serviço.

Várias empresas já estão apostando alto no meio digital. Em outra matéria sobre o assunto na mesma revista, percebe-se que o público da internet está se tornando cada vez mais diversificado e que não é mais somente as classes mais altas que tem acesso, isso torna possível a divulgação de produtos que geralmente vemos apenas em TV ou mídia impressa.

Fonte: Revista Meio Digital maio/junho/2009 Edição 10.

www.meiodigital.com.br

Humilde homenagem…

Hoje, primeiro de julho, acaba o período que chamamos de experiência em um trabalho – são três meses, pra ver se a empresa aprova vocêe principalmente se você se adapta a empresa.  Quando escolhi Publicidade e Propaganda, eu não tinha  certeza de nada, afinal, o que se sabe da vida com dezoito anos de idade. 

No decorrer do curso eu pensava que não era bem aquilo que eu desejava para o meu futuro e, pra provar que as pessoas são “metamorfoses ambulantes”, quando chegou na hora de fazer a Monografia, lembrando que já faz mais que um ano, eu tive certeza: adoro a profissão que eu escolhi, esse um tanto lúdica me deixava fascinada.

Veio a formatura, e a pior fase de tudo isso, oito meses desempregada. Até que então o meu currículo foi encontrado no meio de tantos outros com data de 2006 ainda, nesse momento foi sorte. Fiz um teste, meio com medo ainda, a entrevista e comecei tres dias depois, a partir daí eu passaria por um período de aprendizado, foi o que aconteceu. Um colega bem especial e atencioso que até aquele momento eu conhecia apenas de vista, pois éramos colegas de ônibus, me ensinou tudo que ele tinha aprendido. Eu estava cada dia mais deslumbrada, adorando toda aquela equipe e principalmente o trabalho.

Quando fez aproximadamente quinze que eu estava trabalhando, pronto! Fui inserida no grupo de amigos mais chegados dentre os colegas, daí sim, me senti melhor ainda, que maravilha.

No último sábado, para comemorar essa etapa que se finda, resolvemos na última hora, (c0mo disse a Angela no seu post) que faríamos uma janta para nos reunirmos mais uma vez. Aquela noite foi comemoração mesmo. Como é agradável ter colegas que se possa chamar também de amigos. Algo que eu se quer imaginava que aconteceria, trabalhar na Vang aconteceu e a cada dia eu gosto mais. Espero também que os demais colegas tenham o mesmo sentimento e principalmente que eu consiga realizar plenamente o meu trabalho, deixando claro que todas as críticas e sugestões são bem vindas.

Obrigada, mesmo galera por todo o acolhimento e espero que isso dure ainda muito tempo e que a minha jornada aqui seja cada dia mais promissora.

 

Beijos da Emili (A DOIDA)

triste verdade: é bom mesmo sempre estar ligado

Algo legal que eu achei no Publicijobs

O ser humano sempre busca novas experiências. Devido o mundo globalizado as coisas são mutáveis, a tecnologia avança, novas tendências acontecem a todo o momento, um novo celular é lançado, “entra” mais um acessório para o seu carro. O problema é quando uma pessoa pensa que mundo globalizado é o mundo de uma certa emissora…

– Outro dia entrei em um táxi e o motorista perguntou qual era o meu destino. Falei. Ele liga o seu aparelho de GPS e programa de acordo com o meu pedido, no percurso percebo que o aparelho guia o motorista que guia o carro. Fantástico! GPS não e mais novidade… agora os carros tem sensor que auxilia os motoristas a fazerem a baliza, atende seu celular e ler suas mensagens de texto.

No seu celular é possível escutar uma rádio e, logo logo, estaremos com a tecnologia que o Japão possui, assistir televisão via celular (alguns aparelhos já possuem). Quem se lembra que o aparelho de celular antigamente era apenas para a classe A “naquele tempo usavam-se este termo para diferenciar as pessoas”, hoje todos estão tendo a possibilidade de ter acesso. Quem não tem celular hoje em dia? Hoje uma criança com os seus 7 anos já possui.

O crescimento é constante, a todo momento surgi algo novo, algo de novo acontece!

Hoje em dia um profissional que passa muitos anos na mesma empresa é considerado acomodado, aquele que vive na zona de conforto. Antigamente era sinal de um bom profissional. Buscar o conhecimento, acompanhar o mercado e estar “ligado” a tudo o que acontece ao nosso redor não é tão simples assim. Na Internet a informação muda em fração de segundos, os sites atualizam-se e de repente surge em nossas vistas uma nova matéria e aquela que você estava no meio da leitura virou passado. Quem sabe se você tivesse lido com mais rapidez teria conseguido terminar a leitura!?

O universitário passa por dificuldades, tirando aqueles que tem o Qi, andei pesquisando algumas vagas de estágio na minha área de atuação. Chega até ser engraçado os pré-requisitos para a candidatura. É algo parecido ou muito próximo desse discurso: “precisamos de um profissional com vastos conhecimentos em… (a lista de cursos, parece lista de material escolar das crianças) dinâmico, pró-ativo, ambicioso, 5 anos de experiência, com carteira de clientes, possua carro, esteja em tal semestre, que curse tal e tal faculdade, inglês fluente. Bolsa auxílio de R$ 500,00, sem benefícios (ainda chamam de bolsa auxílio!!!!), período integral.

Se você perguntar para o estudante quanto ele paga de faculdade terá uma surpresa. Ele não paga menos do que R$ 600,00, isso para os cursos “mais populares”. Se você está pensando em cursar medicina, direito, gastronomia…. a chamada de bolsa auxílio vai pagar apenas a condução ou combustível e poucas despesas pessoais. A faculdade? Ah quem sabe seus pais não o ajudam a pagar!

Educação é a base. O Brasil tem que investir nas escolas, no estudante! Dar condições de estudos e as empresas privadas mais incentivo. Incentivo é desde ensinar o estagiário na função a exercer desde a remuneração. Pedir para um estagiário de 2 a 5 anos de experiência não é estagio!

Estagiário tem conhecimento da teoria, o estagio que trará a prática!

Mas você estudante não desanime, acredite que você pode chegar lá e com certeza a fé move montanhas, mas, ter fé e não fazer por onde não vai te ajudar muito. Eu? Continuo na briga pelo meu estágio.

autor: Sérgio Cotô Fernandez
sergiofernandes@limao.com.br
dezembro/2007
SP – SP

fonte: http://www.publicijobs.blogspot.com/

 e então? o que acham? eu concordo, e é uma pena que a gente não pode mostrar o que sabe e assim adquirir experiência…

Wikinomics. Ganhos para ambos os lados e em todos os sentidos!!!

Wikinomics é um termo relativamente novo no mercado, significa a forma como as pessoas, através da internet, ou até sistemas de empresas, podem participar da economia das organizações e mundial. É a colaboração em massa.

Escrito por Don Tapscott e Anthony D. Williams, o livro: Wikinomics: como a colaboração em massa pode mudar seu negócio, inicia contanto a história de uma companhia mineradora canadense que estava prestes a fechar as portas. O presidente da companhia, Rob McWen participou de uma conferencia em que conheceu o sistema Linux, um sistema que contava com a colaboração de programadores do mundo inteiro para sua criação, evolução e inovação. Depois disso ele decidiu revelar os dados da companhia ao mundo, para que as pessoas pudessem auxiliar na busca por jazidas de ouro. Não é uma atitude normal, visto que seria aberto também aos concorrentes. Foi através de um concurso que as pessoas enviavam todo o tipo de informação à companhia. Participaram pessoas dos mais diferentes níveis intelectuais, com o objetivo de ganhar o prêmio. Desta forma a companhia se reergueu e hoje é a empresa mais inovadora nesse ramo.

Varias empresas, hoje, utilizam desta ferramenta para aumentar seus lucros. Através da participação, os consumidores podem contribuir para a inovação ou a criação de novos produtos quase que sob medida. Essa colaboração aberta entre organizações e consumidores é chamado peering. É a forma mais bem sucedida para se ter crescimento mútuo: empresas, sistemas e usuários, acabam propiciando a criação de novas modalidades de sistemas e sites, cada vez mais específicos para cada organização e para cada nicho de consumidores. Os usuários têm o poder de modificar para “navegar” da forma que melhor lhe agradar.

Além da troca de informação e conhecimento entre usuários e organização, existe uma produção de conhecimento e ainda troca de capacidade computacional. Exemplos disso são os próprios sites de entretenimento e de pesquisa, como os Blogs. Youtube.com. editores de música, salas de bate-papo, Skype, MySpace, Wikipedia, entre outros

O site de pesquisa Wikipedia possui mais conteúdo científico do que a própria enciclopédia britânica. Foi criada de maneira colaborativa. Os usuários preenchem um cadastro que lhes possibilita registrarem o que conhecem a respeito de determinado conteúdo, além de pesquisarem assuntos de interesse.

A colaboração de massa é uma ferramenta que, além de ter baixo custo para as organizações proporciona crescimento e participação de qualquer individuo na economia mundial. A colaboração em massa é moderna e promissora, em que pessoas e empresas crescem junto. De qualquer parte do mundo é possível contribuir com uma organização aqui do Brasil, por exemplo. Porém é necessário analisar os pontos positivos e negativos, partindo da premissa que não se deve acreditar em tudo. As empresas, acredito, devem questionar alguns quesitos: até que ponto é confiável, quem seleciona as informações e até mesmo os usuários, e constatar até que ponto essa participação é válida e se não irá ser realizada em vão, ou seja, verificar se as sugestões, informações e idéias de inovação que os indivíduos publicam são utilizadas pelas organizações.