Você é o que deseja ser

 João era um importante empresário. Morava em um apartamento de cobertura, na zona nobre da cidade.
Ao sair pela manhã, deu um longo beijo em sua amada, fez sua oração matinal de agradecimento a Deus pela sua vida, seu trabalho e suas realizações.
Tomou café com a esposa e os filhos e os deixou no colégio. Dirigiu-se a uma das suas empresas.
Cumprimentou todos os funcionários com um sorriso. Ele tinha inúmeros contratos para assinar, decisões a tomar, reuniões com vários departamentos, contatos com fornecedores e clientes.
Por isso, a primeira coisa que falou para sua secretária, foi: Calma, vamos fazer uma coisa de cada vez, sem stress.
Ao chegar a hora do almoço, foi curtir a família. À tarde, soube que o faturamento do mês superara os objetivos e mandou anunciar a todos os funcionários uma gratificação salarial, no mês seguinte.
Conseguiu resolver tudo, apesar da agenda cheia. Graças a sua calma, seu otimismo.
Como era sexta-feira, João foi ao supermercado, voltou para casa, saiu com a família para jantar.
Depois, foi dar uma palestra para estudantes, sobre motivação.
Enquanto isso, Mário, em um bairro pobre de outra capital, como fazia todas as sextas-feiras, foi ao bar jogar e beber.
Estava desempregado e, naquele dia, recusara uma vaga como auxiliar de mecânico, por não gostar do tipo de trabalho.
Mário não tinha filhos, nem esposa. A terceira companheira partira, cansada de ser espancada e viver com um inútil.
Ele morava de favor, num quarto muito sujo, em um porão. Naquele dia, bebeu, criou confusão, foi expulso do bar e o mecânico que lhe havia oferecido a vaga em sua oficina, o encontrou estirado na calçada.
Levou-o para casa e depois de passado o efeito da bebedeira, lhe perguntou por que ele era assim: Sou um desgraçado, falou. Meu pai era assim. Bebia, batia em minha mãe.
Eu tinha um irmão gêmeo que, como eu, saiu de casa depois que nossa mãe morreu. Ele se chamava João. Nunca mais o vi. Deve estar vivendo desta mesma forma.
Na outra capital, João terminou a palestra e foi entrevistado por um dos alunos: Por favor, diga-nos, o que fez com que o senhor se tornasse um grande empresário e um grande ser humano?
Emocionado, João respondeu: Devo tudo à minha família. Meu pai foi um péssimo exemplo. Ele bebia, batia em minha mãe, não parava em emprego algum.
Quando minha mãe morreu, saí de casa, decidido que não seria aquela vida que queria para mim e minha futura família. Tinha um irmão gêmeo, Mário, que também saiu de casa no mesmo dia. Nunca mais o vi. Deve estar vivendo desta mesma forma.
                                                                       *    *    *
O que aconteceu com você até agora não é o que vai definir o seu futuro e, sim, a maneira como você vai reagir a tudo que lhe aconteceu.
Não lamente o seu passado. Construa você mesmo o seu presente e o seu futuro.
Aprenda com seus erros e com os erros dos outros.
O que aconteceu é o que menos importa. Já passou.
O que realmente importa é o que você vai fazer com o que vai acontecer.
E esta é uma decisão somente sua. Você decide o seu dia de amanhã. De tristeza ou de felicidade. De coisas positivas ou de amargura, sem esperança.
Pense nisso! Mas pense agora!
 
 Redação do Momento Espírita, com base em texto de autoria ignorada.
Disponível no cd Momento Espírita, v. 11, ed. Fep.
Em 20.10.2011.

o caos da pós modernidade

Diante de tamanha violencia no Brasil, no Mundo e muito próximo de nós, eu paro e penso: o que acontece? será que a maldade não é relativa, será que a minha negligência, descuido ou até imprudência não pode contribuir para que eu seja prejudicada, roubada, passada para tras? Às vezes o ditado: “o mundo é dos vivos” é muit válido temos que ser sempre mais espertos e abrir o olho. Amigos são poucos. gostar de outra pessoa, amar outra pessoa é a coisa mais linda que pode existir, mas o amor próprio deve ser sempre maior. Não existe mais luta por uma causa, no século XXI o que existe é a luta pela sobrevivência, defender um ideal é coisa arcaica e a tortura pode se tornar maior do que nos anos 60, – pelo menos eu considero que a tortura psicologica tem mais dificil a cura do que a fisica e tenho certeza que vou encontrar muitos que pensam como eu. Hitler defendia algo, e quem não andasse com ele era banido, hoje se você não for de acordo com o sistema, será banido, porém de forma mais sutil e sem bombas.

Emili

dando continuidade aos infinitos

Analisando, hoje pela manhã, percebi que há muito tempo não escrevo nada… confesso que me preocupo muito com o conteúdo, antes de mais nada. gostaria de ter algo bombástico para postar, mas é muita pretenção minha criar polêmica, afinal, isso é para poucos. Está longe dos meus sonhos ser como Arnaldo Jabor, Carlos Prates, Nelson Motta, etc… Gostaria muito de poder ser intelectual e estar sempre dentro de uma biblioteca, mas isso infelizmente isso não enche barriga, e é necessário desempenhar tarefas não muito agradáveis durante a semana, mas que com certeza darão retorno financeiro. Não me proponho a fazer fofoca por aqui também, o meu negócio é dissiminar o conhecimento nessa rede que é espetacular que se bem utilizada poderá melhorar muito a sociedade como um todo. (não vou entrar nesse assunto agora, mas é lamentável sermos obrigados a muita coisa…). Mas voltando ao assunto inicial, a partir de hoje (28.03.2011) me proponho a pelo menos uma vez por semana postar algo, por mais inútil que seja. Apenas para criar um inicio de conversa, e quem quiser que teça sua opinião. Vou tentar me comportar como a maioria e utilizar mais meu Facebook. Twitter, Orkut etc…

Ah, eu to lendo (ainda) A Menina que Roubava livros, é muito legal, eu particularmente adoro coisas que falem de guerra, estou terminando, assim que finaliza-lo publicarei uma resenha e após retomarei a leitura de O Morro dos Ventos Uivantes, de minha chará Emily Brontë… aguardem…

“J

cada um na sua, por favor!

“E tem o seguinte, meus senhores: não vamos enlouquecer, nem nos matar, nem desistir. Pelo contrario: vamos ficar ótimos e incomodar bastante ainda”

Caio F.

Olá, após alguns meses, reabro… e, venho com uma frase intrigante de Caio F., pois aqui estamos para pensar e pensar infinitamente. Eu, particularmente gosto das coisas simples da vida, amo por do sol, e entre outras coisas, me é fascinante. E com isso sou muito, mas muito feliz, porém, sempre há alguém que queira estragar tdo isso… Por isso, volto a enfatizar a frase do Caio: não vou desistir, e os incomodados que se virem (P.S. isso pq tenho que ser delicada publicamente, se não aqui já teria saído um palavrão). Quero ser feliz, quero aproveitar tudo que eu puder, e quero incomodar se esse for o caso, sim porque a inveja é total falta de capacidade…

Tá tdo indo muito bem, eu nunca me senti tão leve e feliz em 25 anos, acreditem! Mas em breve ainda terei muitas novidades e boas.

E quanto às pessoas que não possuem vida própria, as deixemos pra lá, eu serei FELIZ e “não concedo a ninguém o direito de me aborrecer”! (sei lá quem escreveu isso…)

O Teatro Mágico = amor à primeira vista

Tive meu primeiro contato com esse espetáculo no dia 15 de abril e me apaixonei. Não somente pelas músicas que tem letras magníficas, mas pelo grupo em si. é algo que eu nunca tinha visto antes, nada parecido, realmente foi amor à primeira vista. Não tem nem como explicar, só assistindo mesmo pra saber. e é uma pena que muita gente não conheça, exatamente quem devia conhecer e saber o que eles tem a dizer, o que eles nos fazem pensar a respeito da tv, a respeito de muitas outras mídias que nos deixam alienados e que nos manipulam fazendo-nos pensar como eles desejam…. não vou mais escrever porque vai se tornar muito polêmico… mais aí vai um trechinho de uma música linda, e o link deles pra quem quiser:

Será que a sorte virá num realejo?
Trazendo o pão da manhã
A faca e o queijo
Ou talvez… um beijo teu
Que me empreste a alegria… que me faça juntar
Todo resto do dia… meu café, meu jantar
Meu mundo inteiro…
que é tão fácil de enxergar… E chegar

O Teatro Mágico

dias…

Vendo e vivendo algumas coisas simples da vida, percebo que o que vale a pena mesmo é aproveitar as pequenas coisas. Às vezes paro e analiso.. como é possível ser feliz com tão pouco, analiso as pessoas que tem pouco ou nada e conseguem ver felicidade em tudo, da mesma forma que as pessoas que tem tudo não conseguem enxergar isso e ainda estão sempre correndo atras de algo que lhes falta. E, claro não estou me excluindo disso…

“É necessário abrir os olhos e perceber que as coisas boas estão dentro de nós, onde os sentimentos não precisam de motivos nem os desejos de razão. O importante é aproveitar o momento e aprender sua duração, pois a vida está nos olhos de quem saber ver.”                               Gabriel Garcia Marquez

aahh … quero deixar um super beijo e um abraço apertado pra minha amiguinha Angela que passa sempre por aqui..

Bjo Anggeeee

Adoro tu…

não me entrego sem lutar tenho ainda coração

não aprendi a me render

que caia o inimigo então

tenho os sentidos já dormentes, o corpo quer a alma entende…

sei lá se é a alma que entende de alguma coisa ou só é seguida pelas emoções que o corpo sente.. não sei também se existe algum sentido nisso, mas eu sei de mim e sei que a partir de agora estou conseguindo racionalizar muita coisa coisa e você é uma delas, o sentimento que vai se acabando e a razão toma conta….

agora eu sou metal, fria, gelada e tenho sentimentos puramente egoístas que me fazem sentir muito melhor, tudo isso só me fez aprender e saber o que se deve fazer a respeito de algumas coisas em relação a relacionamentos… a partir de agora terei relacionamentos superficiais com todos… me entregarei à uma única pessoa do qual tenho certeza que me ama mais que tudo nesse mundo, pra sempre e sem limites: EU!!! é isso mesmo a unica pessoa que posso me entregar enteiramente e ter sentimentos de cumplicidade amizade, amor e tudo que for em relação a outro alguém sou eu mesma nesse caso tenho certeza que serei correspondida. é meio egoísta querer ser correspondido, mas o que eu quero é evitar qualquer tipo de dor nesse sentido e qualquer tipo de decepção…

 

mas…

sei que devo resistir e quero a espada em minhas mãos, pois não me entrego sem lutar

Inspiração: Renato Russo

e tudo passa, tudo passará

 

E nossa história
Não estará
Pelo avesso assim
Sem final feliz
Teremos coisas bonitas pra contar
E até lá
Vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe pra trás
Apenas começamos
O mundo começa agora, ahh!
Apenas começamos.

Eu assumo correr o risco de ser usado…
Eu assumo o risco de parecer tolo…
Eu assumo o risco de ser mal tratado…

Tudo isso porque é só de braços abertos que iremos vencer o medo de amar…

E, se queremos um mundo mais humano…
Precisamos vencer o medo…

Quem é o primeiro soldado a ir de frente para o pilotão?
Alguém precisa ir…

E eu vou…

by http://whiteonwhite.wordpress.com/