quero me livrar de tudo isso, quero que a minha liberdade seja respeitada, quero poder contar com as pessoas como elas contam comigo,

quero poder enfrentar o perigo sem que ninguém me julgue, quero decidir por mim própria como conduzir minha vida,

quero saber o que as pessoas sentem, quero sentir que sou importante para elas, quero acreditar nisso

e é hoje

a cada dia que passa sinto que cada vez mais estamos ficando distantes disso tudo a nossa volta. essa etapa está finalizando e prestes a começar uma nova. ao mesmo tempo que tem a euforia dessa finalização tem a angústia e insegurança de uma nova que vai iniciar. estamos perdendo esse momento ele está escapando pelos nossos dedos sem percebermos e para o reinicio precisamos nos preparar e muito bem…

mais um filho

ontem, nasceu o segundo filho, a Monografia, agora acho que saiu o peso que faltava sair das costas, mas pra ficar tranquilo mesmo só depois das Bancas e depois da nota.

parece, na verdade que a responsabilidade ta aumentando…

 

hoje nao to com inspiração e vou parar por aqui mesmo..

tudo um dia termina

é, tudo um dia termina… a fase de conclusão também termina

a correria ta chegando no seu final e cansaço tá cada vez mais intenso, não há mais dias inteiros de cama que curem isso, não sei mais o que fazer com a preguiça. nenhum tipo de energético faz efeito. nada tira a preguiça.

o final desse período faz aumentar a responsabilidade. e agora? falta pouco pra eu deixar de ser estudante. bom o tempo irá responder a todas as perguntas, todas e inclusive essa  e um dia isso tudo vai deixar muita saudade e vai ser até engraçado, então vou me perguntar: por que se preocupar com isso? mas é assim mesmo, tudo na vida muda, tudo… tudo isso vai deixar muitas lembranças, vai fazer falta. os amigos, os professores, o banquinho do “F”, as idas e vindas, os finais de semana perdidos (ou ganhados), as madrugadas em claro, as longas conversas com os colegas, as barras enferntadas. e tudo isso sabendo que sempre tem alguém com quem se pode contar e é nessa horas que a gente conhece os verdadeiros amigos. precisar faltar trabalho pra fazer tcc e pex, e o chefe, que chefe gente boa…

a melhor parte é essa, quando a gente ve que todos estão do noso lado e que passar por tudo isso vale muito a pena e que a recompensa um dia vem, com certeza vem, o que não pode é ficar esperando ela vir, é preciso, muitas vezes correr atras dela. e o tempo muda tudo, nos faz crescer e aprender muito, o problema é que tem algumas coisas que a gente aprende quando já é tarde, tarde…

“o pós parto”

agora me sinto como se tivesse tido um parto, claro não sei se é assim que a gente se sente quanto tem um filho, mas pra mim parece que sim.. foi uma gestação que durou mais do que as gestações de seres humanos e acredito que foi muito dificil enfrentar, ontem foi o dia do nascimento oficial no filho “Pex” Projeto Experimental para conclusão do curso de Publicidade e Propaganda. me sinto muito cansada e acho que é o cansaço que nao tinha aparecido até agora. acredito que é assim o pós parto um cansaço que nada faz passar…

Foi um pouco do peso tirado das costas, diminuiu um pouco a carga de estresse que acumulou durante esses oito semestres (matados) de faculdade. Um pouco porque agora ainda falta a Monografia que vai nascer dentro de exatamente quatorze dias.

achei legal utilizar essa metáfora para descrever o que é a entrega de um trabalho dessa categoria, pois realmente ele exigiu muito esforço e parece que o alívio ainda não chegou, e não chegou mesmo, no próximo dia tres é data do batizado desse filho (leia-se banca de avaliação) em que os padres aprovam ou não todo esse esforço e a gente tem que ter em mente que ele pode ter sido em vão e que possam exigir outra gestação de trinta dias ou de mais seis meses para realizar tudo de novo o que não contentou os membros da banca. é, temos que estar preparados pra tudo…